Diversificação

Diversificação de carteira: entenda mais sobre o assunto

Publicado por Avenue em dezembro 9, 2020 | Atualizado em fevereiro 22, 2021
Tempo de leitura: 5 minutos

O que vem à sua mente quando o assunto é diversificação de carteira de investimentos? Muitas pessoas já ouviram dizer que essa é uma estratégia para se buscar resultados no mercado financeiro, mas não sabem ao certo como aplicá-la.

A verdade é que a diversificação precisa levar em conta alguns fatores importantes, especialmente no que se refere ao perfil do investidor e aos seus objetivos.

Neste artigo, vamos falar sobre a importância da diversificação e mostrar como você pode colocá-la em prática.

Qual é a importância da diversificação da carteira de investimentos?

Uma das máximas mais conhecidas do mercado financeiro é a seguinte: pode não ser uma boa ideia colocar todos os ovos em uma mesma cesta. Ou seja, o investidor pode distribuir seus recursos entre diferentes opções de aplicação.

Assim, é possível equilibrar o peso que cada papel representa na composição da sua carteira, de modo que os resultados dependam mais do conjunto do que de uma única aplicação. O objetivo dessa técnica é aproveitar os benefícios da exposição a ativos variados e, sobretudo, possivelmente diluir os seus riscos.

Diversificando sua carteira

Tradicionalmente, as aplicações de renda fixa e com baixo risco sempre foram as mais procuradas pelos investidores brasileiros. Nos últimos anos, essa tendência era justificada pelas altas taxas de juros da economia. Os números faziam com que esses ativos garantissem um certo rendimento, o que era suficiente para que muitos aplicassem praticamente todos os seus recursos nessa modalidade.

O cenário, no entanto, agora é diferente. Além de as taxas de juros estarem nos menores patamares da história, o mercado vive dias de mais incertezas. Por isso, uma possível forma de se investir é buscando diversificar investimentos na carteira.

Ao fazer isso, o investidor passa a acessar oportunidades com diferentes índices de rentabilidade e liquidez.

Amortecendo eventuais perdas

Com recursos alocados em diferentes tipos de investimento, é possível reduzir a oscilação de desempenho da carteira. Afinal, caso algum dos ativos sofra com eventuais perdas, esses reflexos são amortecidos pelos resultados positivos de outros papéis que compõem o portfólio.

Nesse aspecto, é importante considerar ainda que o mercado financeiro é regido por uma grande variedade de agentes e indicadores. Eles podem ser afetados por diversos eventos econômicos, políticos e até naturais, impactando toda a cadeia de investimentos ao seu redor. Por isso, o investidor pode ter seus resultados comprometidos ao manter os recursos aplicados em ativos atrelados a apenas alguns desses índices.

Outra vantagem dos investimentos diversificados é o possível aumento da proteção dos rendimentos e do próprio patrimônio em diferentes situações. Com um leque maior de ativos no portfólio, é possível reduzir os riscos.

Construa um bom perfil de investidor

Metas e tolerância a riscos são duas das características mais importantes para definir um perfil de investidor. O detalhe é que, além delas, nossas próprias práticas como investidores nos ajudam a conhecer mais os pormenores e nos fornecem mais experiência nesse mercado.

A diversificação é uma maneira de aprender a investir e pode agregar mais fundamentos ao próprio perfil de investidor.

Como ter uma carteira de investimentos diversificada?

Agora que já falamos sobre os benefícios, vamos descobrir como diversificar a carteira na prática.

Defina o quanto está disposto a investir em cada categoria

Pode ser interessante que uma carteira de investimentos diversificada contenha papéis de diferentes características. Antes de qualquer coisa, cabe a cada pessoa definir o quanto será alocado em cada um deles. Basicamente, essa escolha vai depender do perfil de investidor e da estratégia adotada na diversificação.

Nesse processo, é comum que muitos se lembrem de alternativas como fundos de investimentos, fundos imobiliários e ações na B3. Contudo, é cada vez maior o número de pessoas que buscam as oportunidades também nos mercados internacionais, como as bolsas americanas. Há ainda aqueles que destinam parte de seus recursos a investimentos alternativos por meio de fintechs, por exemplo, outra opção que ganhou força nos últimos anos.

Entenda mais sobre os conceitos de renda fixa e variável

Entre os conceitos que fazem parte do universo dos investimentos, as rendas fixa e variável são fundamentais no processo de diversificação da carteira. Isso porque contar com papéis nas duas modalidades pode ser uma boa estratégia, já que uma atua de forma complementar a outra.

Resumidamente, os investimentos de renda fixa apresentam uma taxa de rentabilidade predefinida com base em um indicador financeiro e seu risco costuma ser menor. Isso significa que esses títulos, grosso modo, atuam como uma proteção dos recursos investidos.

Por outro lado, as aplicações de renda variável não contam com previsibilidade nos rendimentos e, geralmente, trazem um grau de risco maior. Seus retornos, no entanto, podem ser muito significativos quando os critérios corretos são utilizados na escolha dos investimentos.

Ao levar em conta as informações deste artigo, você pode ter melhores condições para diversificar suas aplicações. Ciente disso, que tal conferir sua conta de investimentos e começar a definir sua estratégia de diversificação de carteira agora mesmo?

Se você gostou deste conteúdo e quer receber mais dicas sobre investimentos em primeira mão, não perca tempo. Assine a nossa newsletter e mantenha-se bem informado.